“O Homem é do tamanho do seu sonho.” (Fernando Pessoa)

 

Caro amigo empresário,

Parabéns pela sua startup! Com certeza, fruto de um sonho acalentado por muito tempo, rascunhado, talvez, numa mesa de bar, restaurante ou mesmo num balcão de quiosque de praia. Discutido com amigos, parceiros, futuros sócios (talvez, atuais), aos poucos suas ideias ganharam vida, seu projeto se tornou realidade e seu empreendimento começou a dar resultado.

Sua startup é consequência de muito esforço, noites mal dormidas (ou nem isso), muita tentativa e erro, situações nas quais sua criatividade e capacidade de inovação foram postas a prova no mais alto nível de estresse, desafios de toda natureza foram enfrentados e vencidos, profissionais contratados para formação de uma equipe de alto desempenho focada em tornar seu sonho em realidade, equipamentos e sistemas de apoio adquiridos, investimentos foram feitos e continuarão sendo feitos para dar continuidade, sustentação e amplitude ao seu negócio buscando, não só o prazer de atingir seus objetivos, mas, também uma realização financeira, um engrandecimento da alma e do espírito e a satisfação de poder dizer “eu venci”.

Mas, atenção. Não se pode descuidar da gestão de startups. Mesmo que seu foco seja técnico, é essencial que você dê atenção à gestão de startups para que não se percam nos escaninhos da informalidade, do improviso e das falhas e equívocos típicos do noviciado, praticados por empreendedores cuja preocupação primeira e única é ver sua invenção, sua criação, seu “filhote” funcionando em sua plenitude, enquanto tudo o mais se perde no amadorismo da empresa e de seus executivos.

Sabemos que este “descuido” acontece muitas vezes e que geralmente, quando não percebido e corrigido a tempo, pode levar o empreendimento ao fracasso e, consequentemente, a perda de todo investimento efetuado além de outras consequências fiscais, legais e trabalhistas. Afinal, sua startup é uma empresa na acepção da palavra e seu CNPJ é seu passaporte para o mercado. Portanto, a gestão de startups é essencial para garantir prosperidade.

Se você já sente as dores de um modelo de gestão equivocado, descuidado ou, mesmo, relegado a segundo plano, recomendamos severamente que analise as soluções que propomos a seguir.

Entenda os princípios básicos da gestão de startups

gestão-de-startups-consultoria-especializada Gestão de Startups: Virei empresário e, agora, como realizar a gestão de minha empresa?

Estamos nos referindo aos princípios básicos de gestão, que nos foram legados pelo saudoso e insuperável Peter Drucker, considerado o pai da Administração Neoclássica, que formulou e desenvolveu os pilares da gestão de uma empresa de sucesso, que são: o Planejamento, a Organização, a Direção e o Controle.

Juntos, bem trabalhados e bem aplicados, estes quatro pilares são as bases de sustentação das empresas lucrativas, prósperas e que se perenizam no tempo.

Segundo Peter Drucker, “A ideia de que planejar significa adivinhar o futuro é simplesmente absurda. Tudo o que se pode ter é preparo para enfrentar o que vier” e este preparo você só obtém desenvolvendo sua visão, definindo sua missão e fixando objetivos e metas a serem atingidas, mediante a adoção de estratégias desdobradas em planos de ação executados, controlados e avaliados a fim de não se perderem no tempo e no espaço. Isto se chama, grosso modo, Planejamento Estratégico, um exercício de desenhar o futuro de sua empresa e definir como ela chegará lá.

Planejamento e organização caminham juntos na gestão de startups

A Organização de uma empresa transcende a papelada burocrática de sua formalização junto ao Governo, não importa de qual esfera, e a geração periódica de informações das mais diferentes tipos para os Órgãos Públicos que fiscalizam e controlam a vida das empresas, o pagamento de seus impostos e o cumprimento das obrigações legais inerentes ao seu segmento de atuação e o seu tipo de negócio.

A Organização de uma empresa busca responder a duas perguntas fundamentais:

“Quem faz o que?” e

“Quem manda em quem?”

Organizar uma empresa é estabelecer sua hierarquia e definir e distribuir de forma balanceada as atribuições organizacionais de cada setor formalmente organizado e é, enfim, acima de tudo, definir seu Organograma, suas políticas internas, sendo as principais as políticas comerciais, financeiras, de uso de recursos tecnológicos e de gestão de gente e seus regulamentos de convivência e respeito mútuo num ambiente rico em diversidade humana.

gestão-de-startups-consultoria-especializada Gestão de Startups: Virei empresário e, agora, como realizar a gestão de minha empresa?

É também desenhar, implantar e operacionalizar com racionalidade e funcionalidade seus processos internos de trabalho, compostos de fluxos de dados e informações que se transformam em conhecimento aplicável ao negócio da empresa e que precisam ser validadas e guardadas, muitas vezes, como “segredo de estado”.

A importância da Direção na gestão de startups

Por Direção entenda-se o modelo de gestão das pessoas que você contratou para ajuda-lo a desenvolver sua startup, dar vida ao seu sonho e concretizar suas ideias em produtos e/ou serviços para o mercado.

– Como você contrata?  Como você administra o quadro? Como você paga, mobiliza, avalia, promove e reconhece?

Essas questões são cruciais, principalmente após a Lei da Terceirização, a Reforma Trabalhista e às vésperas da implantação obrigatória de sua empresa no e-Social.

Sim, não será a implantação do e-Social na sua empresa; mas, sim a implantação de sua empresa no e-Social; pois este não é um software, um ERP ou algo parecido, pelo contrário, são determinações legais da área trabalhista nas quais sua empresa deverá se enquadrar.

E, pergunto, sua startup está preparada para cumprir esta determinação? Você está preparado para seguir as normas legais e rotinas de trabalho que já estão em vigor e outras que passarão a vigorar imediatamente após sua inclusão no e-Social?

A prática eficaz da Direção, também envolve criação e sustentação de um ambiente psicológico favorável e amigável para o trabalho, que contribua para a motivação e o engajamento dos profissionais em seus projetos; um bom sistema de comunicação interna e um processo de valorização que sinalize e ofereça perspectivas de carreira aos talentos que foram atraídos pelo desafio técnico, mas, só serão mantidos pelas oportunidades profissionais que forem vislumbradas como perspectivas de carreira até o topo da hierarquia.

Controlar a gestão de startups é fundamental

gestão-de-startups-consultoria-especializada Gestão de Startups: Virei empresário e, agora, como realizar a gestão de minha empresa?

O pleno exercício da função Controle é que lhe permitirá saber se seu negócio estará indo no rumo certo, se você está adotando um processo de gestão de startups de acordo com os fundamentos de Administração, se os investimentos efetuados estão retornando de maneira satisfatória e se o mercado está se encantando com seus produtos e/ou serviços entregues.

Controlar é, em última essência, medir e avaliar se os objetivos e metas previamente definidas estão sendo atingidos ou não e quais ações, preventivas ou corretivas, devem ser tomadas para evitar desvios que se avizinham (preventivas) ou corrigir desvios que já ocorreram (corretivas).

Para o exercício pleno desta função é fundamental que você disponha de um leque de indicadores de gestão que lhe ajudarão a detectar os sintomas e as tendências dos processos financeiros, comerciais, técnicos e outros que conhecidos e compreendidos a tempo, o auxiliarão a balizar e conduzir seu negócio rumo ao SUCESSO desejado.

Por fim, meu caro amigo, se você, proprietário de uma startup de sucesso, ou a caminho dele, já sente as dores e as consequências de uma gestão inadequada ou, mesmo, devido a ausência de um modelo de gestão eficaz para sua empresa nos moldes que abordamos acima, saiba que há solução para este mal.

Nós estamos aqui para ajudá-lo a detectar, diagnosticar e implementar soluções de gestão de startups que contribuam para que sua empresa se fortaleça e se desenvolva cada vez mais, com a adoção de ferramentas sólidas e sustentáveis de Planejamento, Organização, Direção e Controle.

Conte conosco!

***

Gostou do tema abordado neste post e quer se manter atualizado? Então, deixe um comentário ou assine nossa newsletter.

Abraços e até a próxima!

*** SÉRGIO LOPES é membro da equipe de consultores e instrutores do Studio Estratégia – Advocacia e Governança Corporativa, atuando nas áreas de Gestão, Qualidade e Pessoas. Contando com mais de 30 anos de experiência profissional, Sérgio é Mestre em Administração de Empresas (Metodista, 1985, Pequenas e Médias Empresas), Pós-Graduado em Análise de Sistemas (FAAP, 1978), Sistemas de Informações (Mauá, 1979), em Administração Financeira (Fecap, 1981) e Bacharel em Administração (USP, 1974).

e-mail: slcons@uol.com.br