Você sabe quanto vale o produto que sua empresa desenvolve ou está pretendendo desenvolver?

Já parou para pensar se ele é o que o mercado precisa, qual o seu potencial comercial?

Para responder essas perguntas é importante realizar uma avaliação do potencial comercial do produto.

E afinal, o que é este potencial comercial de um produto?

Nada mais é do que o resultado de uma avaliação: aplicam-se uma série de mecanismos e análises para que o titular de determinada tecnologia consiga verificar a aceitação do seu produto no mercado, confiando maior segurança para investir e ter o êxito esperado.

A questão é que ter um produto ou serviço protegido por meio dos instrumentos da propriedade intelectual de nada adianta se você não estiver pensando grande.

Quando assim afirmo, estou me referindo a alavancar o investimento com estratégias para entrar e permanecer no mercado competitivo.

Porém, desenvolver um produto realmente inovador, que tenha aceitação no mercado, é um grande desafio.

Potencial-Comercial-da-Inovação Potencial comercial do produto: o que é e como avaliar?

Você há de convir que a maioria dos novos produtos que existem por aí são, na verdade, mera evolução ou aperfeiçoamento de ideias que já existem, adaptadas para o contexto atual do consumo.

– OK, Dra. Então, você está querendo me dizer que se eu tive uma ideia, desenvolvi um novo produto e penso em garantir meus direitos de exclusividade através da proteção intelectual, isto não é o correto? 

– A resposta pode parecer óbvia, mas vai além: você precisa proteger seu invento se quiser ter direitos sobre ele (inclusive, já falamos sobre isso neste post aqui), contudo, essa decisão requer uma análise cuidadosa do mercado no qual você pretende concorrer.

Como saber se um produto vai ter sucesso?

Potencial-Comercial-da-Inovação Potencial comercial do produto: o que é e como avaliar?

É claro que tais perguntas se desenrolam em outras tantas que é preciso considerar para decidir se um produto vai emplacar no mercado.

Basicamente, a avaliação do potencial comercial do produto passa por três aspectos:

  1. avaliação do produto;
  2. avaliação da concorrência e público alvo; e
  3. avaliação do próprio mercado.

Avaliação do produto 

Na avaliação do produto cabe definir muito bem do que se trata a inovação, quais as suas características que a tornam diferente do que já existe no mercado. Além disso, é preciso considerar o seu estágio de desenvolvimento: está pronto ou ainda em processo de atingir seu resultado final?

Por último, entra aqui o conceito de “vida útil” do produto, ou seja, quanto tempo ele consegue se manter forte no mercado.

Potencial-Comercial-da-Inovação Potencial comercial do produto: o que é e como avaliar?

Avaliação de concorrência

A avaliação de concorrência procura expandir a visão sobre empresas que já exploram um produto semelhante. O foco é identificar seu diferencial e investir nisso, mantendo um posicionamento estratégico.

Potencial-Comercial-da-Inovação Potencial comercial do produto: o que é e como avaliar?

Avaliação do ponto de vista do mercado

Com relação a avaliação do ponto de vista do mercado, inúmeros são os pontos de avaliação – desde quem são os consumidores e seu tamanho até sua flutuação de tendências e interferências externas que por ventura possa sofrer a médio e longo prazo; passando pela valoração do produto e custo de investimento; e culminando em fontes de recurso, possibilidades de retorno financeiro e lucro obtido.

Potencial-Comercial-da-Inovação Potencial comercial do produto: o que é e como avaliar?

Caso essas condições mínimas não sejam atendidas, o potencial comercial do produto será, evidentemente, baixo.

O que isso quer dizer? Sua empresa estará demasiadamente distante de conquistar o sucesso esperado nas vendas.

A avaliação do potencial comercial do produto é uma atividade imprescindível para o crescimento econômico de uma empresa e deve ser realizada de forma a garantir a inserção de tecnologias inovadoras aptas a fazer frente à concorrência.

Se você está pensando em usar o capital guardado para empreender – sozinho, em parceria ou sociedade – , esta avaliação é ainda mais importante, para que tenha certeza de que o seu sonho também é a expectativa dos consumidores e, por isso, não estará jogando dinheiro pelo ralo.

Inclusive, se você está lendo esse post porque está decidido a entrar no mercado com uma ideia nova, guardada a 7 chaves, e busca orientações sobre como fazer isso do jeito certo, não pode deixar de conferir GRÁTIS o e-book que eu e os demais colunistas do Studio Estratégia preparamos para te ajudar: “A Cartilha das Startups”. 

Por fim, não menospreze os próprios bancos de patentes como fonte valiosa de pesquisa para responder essas questões, além da colaboração de profissionais capacitados (o que sempre se mostra ser uma estratégia eficiente).

O importante é não desprezar as possibilidades de inovar, muitas vezes modificando e aprimorando produtos já consolidados, bem como não ter medo de atingir novos ramos comerciais quando o momento for favorável.

Lembrando sempre que isso poderá exigir reavaliar métodos de venda, marketing, público consumidor, etc; tornando necessária uma nova avaliação do potencial comercial do produto que surgir.

Se você gostou do tema abordado neste post, deixe um comentário ou assine nossa newsletter para se manter atualizado.

Abraços e até a próxima!

*** ADRIANA MAUÉS é advogada e consultora, pós-graduada em Direito Penal e Processo Penal pela Universidade Gama Filho e especialista em Gestão da Inovação e Propriedade Intelectual pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – IFPA. Atua há 7 anos na promoção e proteção de inovações, visando sua transferência ao setor produtivo e o fortalecimento de ações de PD&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação).

e-mail: adriana@studioestrategia.com.br